AMPA Automedição da PA

A AMPA, enquanto metodologia recomendada para o diagnóstico e monitorização do tratamento da hipertensão, é a média de um conjunto de medições repetidas ao longo de vários dias, feitas de manhã e à noite, no respeito por regras e de acordo com um determinado protocolo. As medições casuais e isoladas da PA feitas no domicílio podem ser muito enganadoras e não devem, por si só, ser usadas para suportar decisões clínicas.1

O número de dias de registo e de medições diárias recomendados é variável. No entanto, é consensual que as medições devam ser feitas após um período de repouso de 5 minutos, de manhã e à noite, intervaladas de 1 a 2 minutos, durante 3 a 7 dias e que as medições do primeiro dia sejam excluídas da análise.2 e 3

A AMPA realizada durante 5 dias, fazendo os doentes 3 medições de manhã e à noite, intervaladas de um minuto, é um protocolo igualmente validado mas mais confortável para os doentes. 4-7 Para o cálculo da AMPA, devem ser excluídas as medições do 2 primeiros dias e a primeira medição da manhã e da noite dos restantes três. A AMPA calcula-se fazendo a média das 12 medições restantes (na figura 1 são os registos com fundo em azul). 5

A AMPA deve ser feita na semana que precede a ida às consultas para o registo ser entregue ao médico assistente. Idealmente, deve ser acompanhada pelo registo de uma medição automática sem assistência (AOBP) feita, por exemplo na farmácia, substituindo a medição feita consultório. 8

Indicações 9-10

As indicações da AMPA incluem as seguintes:

  • Diagnóstico de hipertensão
  • Identificação da presença de hipertensão da bata branca ou hipertensão mascarada

Monitorização da eficácia da terapêutica anti hipertensiva nos doentes tratados:

  • Identificação do efeito da bata branca
  • Identificação de hipertensão não controlada mascarada

Protocolo para a realização da AMPA 6

...
Figura 1
  • As medições da PA devem ser feitas após, pelo menos, 5 minutos de repouso, sem que tenha havido actividade física nos 30 minutos prévios.
  • O utente deve estar confortavelmente sentado numa sala tranquila, com as costas apoiadas e o braço assente, por exemplo, numa mesa, imóvel, sem as pernas cruzadas, sem conversar e relaxado.
  • Devem ser feitas 3 medições de manhã e 3 à noite, intervaladas de 1 a 2 minutos, durante, pelo menos, 5 dias consecutivos.
  • A braçadeira deve estar correctamente colocada, ao nível do coração.
  • Registar imediatamente os valores medidos em folheto próprio (figura 1).

Protocolo para o cálculo da AMPA 6

  • Os registos são feitos durante 5 dias.
  • Para o cálculo da média da PA serão excluídas as medições dos dois primeiros dias e a primeira medição da manhã e da noite dos últimos 3 dias.
  • Devem ser feitas 3 medições de manhã e 3 à noite, intervaladas de 1 a 2 minutos, durante, pelo menos, 5 dias consecutivos.
  • Fazer a média das restantes 12 medições (na figura 1 são os registos com fundo azul).
  • A média destas medições obtida para a PAS e PAD é o valor da AMPA
...
  • Indicações: a AMPA está recomendada para o diagnóstico e monitorização do tratamento da hipertensão.
  • Protocolo: após 5 minutos de repouso, devem ser feitas 3 medições da PA de manhã e 3 à noite, intervaladas de 1 a 2 minutos, durante 5 dias consecutivos. 6 Os valores medidos são registados em folheto próprio fornecido pelas farmácias.
  • Para o cálculo da AMPA, excluem-se as medições dos 2 primeiros dias e a primeira medição da manhã e da noite dos 3 dias seguintes. A AMPA calcula-se fazendo a média das restantes 12 medições. 7 e 8
  • Valor de referência da normalidade: AMPA < 135/85 mmHg. 6
  • A AMPA é uma média de várias medições feitas de acordo com um protocolo definido.
  • Medições isoladas da PA no consultório não devem ser usadas para suportar decisões clínica. 1
  • O valor de referência da normalidade é AMPA < 135/85 mmHg, igual ao da AOBP e da PA média em vigília na MAPA. 8
  • Este valor é mais baixo que o da PA medida no consultório (140/90 mmHg), medida seguindo as recomendações da ESH/ESC 2018, porque o efeito da bata-branca está eliminado. 2 e 8
  • Valores marginalmente elevados, ou de fronteira, devem ser confirmados com nova medição noutra ocasião e complementados pela AOBP e/ou MAPA.

O que o utente deve levar quando vai à consulta

AOBP
...
AMPA
...
  • A AMPA é uma média de várias medições feitas de acordo com um protocolo definido.
  • Medições isoladas da PA no consultório não devem ser usadas para suportar decisões clínica. 1
  • O valor de referência da normalidade é AMPA < 135/85 mmHg, igual ao da AOBP e da PA média em vigília na MAPA. 8
  • Este valor é mais baixo que o da PA medida no consultório (140/90 mmHg), medida seguindo as recomendações da ESH/ESC 2018, porque o efeito da bata-branca está eliminado. 2 e 8
  • Valores marginalmente elevados, ou de fronteira, devem ser confirmados com nova medição noutra ocasião e complementados pela AOBP e/ou MAPA.
  • Veja em "Monitorização da terapêutica" como pode utilizar a AOBP, AMPA e MAPA para o diagnóstico e monitorização do efeito da terapêutica.

Referências

  • 1. Parati G et col. on behalf of ESH Working Group on Blood Pressure Monitoring. European Society of Hypertension Practice Guidelines for home blood pressure monitoring. Journal of Human Hypertension (2010) 24, 779–785.
  • 2. 2018 ESC/ESH Guidelines for the management of arterial hypertension. European Heart Journal (2018) 00, 1–98.
  • 3. 2017. ACC/AHA/AAPA/ABC/ACPM/AGS/APhA/ASH/ASPC/NMA/PCNA Guideline for the Prevention, Detection, Evaluation, and Management of High Blood Pressure in Adults . A Report of the American College of Cardiology/American Heart Association Task Force on Clinical Practice Guidelines. Hypertension. 2018;71:1269-1324.
  • 4. Stergiou GS, Parati G. The optimal schedule for self-monitoring of blood pressure by patients at homeJ Hypertens. 2007;25:1992 – 1997
  • 5. Lenders JW, Thien T, Montfrans GA, Smit AJ, . Leeuw PW. The optimal scheme of self blood pressure measurement as determined from ambulatory blood pressure recordings Willem J. Journal of Hypertension 2006, 24:1541–1548.
  • 6. Verberka WJ, Kroona AA, Kesselsa AGH, Lendersd JWM, Thiend T, GA Montfranse , Smitf AJ and Leeuw PW. The optimal scheme of self-blood pressure measurement as determined from ambulatory blood pressure recordings. Journal of Hypertension 2006, 24:1541–1548.
  • 7. Viera AJ. Resistant hypertension. J Am Board Fam Med 2012;25:487– 495.
  • 8. Roerecke M, Kaczorowski, Myers MG. Comparing automated office blood pressure readings with other methods of blood pressure measurement for identifying patients with possible hypertension. A systematic review and meta-analysis. JAMA Intern Med. doi:10.1001/jamainternmed.2018.6551.
  • 9. Muntner P, Carey RM, Charleston JB, Gaillard T, Misra S, Myers MG, Ogedegbe G, Schwartz JE, Townsend RR, Urbina EM, Viera AJ, White WB, Wright JT,; on behalf of the American Heart Association Council on Hypertension; Council on Cardiovascular Disease in the Young; Council on Cardiovascular and Stroke Nursing; Council on Cardiovascular Radiology and Intervention; Council on Clinical Cardiology; and Council on Quality of Care and Outcomes Research. Measurement of Blood Pressure in Humans. A Scientific Statement From the American Heart Association.  Hypertension. 2019;73:e35–e66.
  • 10. 2018 ESC/ESH Guidelines for the management of arterial hypertension. European Heart Journal (2018) 00, 1–98.